AFROSSá

A Dança Afro Soteropolitana

É uma terminologia desenvolvida e aplicada desde o ano de 2009, pelo professor Carlos Ujhama, derivada de AFRO-SOTEROPOLITANO (o que nasce na cidade de Salvador / SSA), usada para identificar a cultura de movimentos e sons oriundos da cidade, e que define as expressões e manifestações de matrizes afro-brasileiras localizadas nas regiões centrais, área metropolitanas e do Recôncavo Baiano. 

Sendo utilizada para definir as praticas e as metodologia desenvolvidas na criação de uma dança afro-brasileira, organizada por Raimundo Bispo dos Santos “Mestre King”, o AFROSSá é utilizado como veiculo na promoção da salvaguarda e manutenção desse trabalho. 

Dessa forma, a disciplina pode ser encontrada e expressa por profissionais da cidade com diversos aspectos: étnico, popular, clássico, moderno e contemporâneo. 

Uma das características essenciais para a comissão cientifica do Conselho Internacional de Dança CID/UNESCO, é aquela que determina que seus membros (escolas, institutos, professores, coreógrafos, etc) na obtenção do reconhecimento em nível internacional da sua disciplina, possa defini-la com apenas uma palavra. AFROSSá é uma terminologia  utilizada como definição de “dança afro-brasileira”, aplicada na certificação internacional de estudos da dança CID/UNESCO, desde o ano de 2014.

Estudantes certificados pelo IABACE, podem ser encontrados nos seguintes países: Brasil, Japão, Finlândia, Espanha, Itália e Suécia.

GLOBAL DANCE DIRECTORY CID